Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Denúncias

Procon-PB notifica oito lojas de materiais de construção por suspeita de abuso de preço do tijolo e cimento em João Pessoa

Empresas terão um prazo de 5 dias para justificarem o aumento do preço do milheiro de tijolo e da saca de cimento e caso configure abuso de preço, a multa pode chegar a 3 milhões de UFIR

Fiscalização ocorreu após denúncias de vários consumidores através do disque 151 e redes sociais do órgão. (Foto: Divulgação/Procon-PB)

Por

Oito empresas de matérias de construção foram notificadas na última sexta- feira (7) pela equipe de fiscais do Procon-PB, após denúncias de vários consumidores através do disque 151 e redes sociais do órgão, em que alegaram o aumento exagerado do preço do milheiro do tijolo do qual custava R$ 450 e passou ao valor de R$ 700, aumento em torno de 56%. Também foi verificado aumento do cimento. No total foram fiscalizados 9 estabelecimentos da capital paraibana.

De acordo com os fiscais da Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor da Paraíba, Procon-PB, os estabelecimentos terão um prazo de 5 dias para apresentarem notas fiscais de compra e venda dos produtos de cimento e tijolo com os comprovantes para o aumento exagerado dos preços e caso configure abuso, a multa pode chegar a 3 milhões de UFIR.

Segundo a Superintendente do Procon-PB, Késsia Cavalcanti, a prática configura suspeita de abuso de preços previsto no Art. 39, Inciso X do Código de Defesa do Consumidor (CDC) e a autuação depende da comprovação das empresas: “depois da análise das notas fiscais, se houver essa comprovação de que as lojas de materiais de construção já receberam os produtos com o aumento, então a fiscalização vai atuar em cima das distribuidoras”, salientou Késsia.

Ela informou ainda que a operação vai continuar a fiscalizar cidades do interior paraibano: “recebemos muitas denúncias de consumidores de várias cidades do estado, vamos atender a todos as reclamações e verificar os estabelecimentos que estiverem descumprindo a lei, serão devidamente autuados”, esclareceu a superintendente.

As oito empresas notificadas para apresentar as notas fiscais de compra e venda dos produtos de cimento e tijolo foram: Ferragem São Geraldo, Tudo para sua construção, Empório da construção, Triunfo construções, Sampaio Material de construção, CDM Madeireira, Madeireira Ka-já e Depósito das Irmãs. Já Esquadrão da Madeira foi constada para reparo de porta que foi instalada com defeito, reclamação de consumidor.

Para esclarecer dúvidas ou realizar denúncia, o Procon-PB disponibilizou o WhatsApp (83) 98618-8330. Também está disponível o disque 151, que é gratuito e funciona de telefone fixo ou de celular. SITE do Procon-PB:

www.procon.pb.gov.br ou as Redes socais: Instagram ou Facebook:
@proconpb e Twitter @procongovpb


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Mais de 500 mil cestas básicas já foram doadas a alunos da rede pública durante a pandemia e mais 250 mil seguem sendo entregues na Paraíba

Uber diz que vai recorrer da decisão do TRT da Paraíba que reconheceu vínculo empregatício a motorista do aplicativo

CCJ da Assembleia Legislativa da Paraíba aprova projetos de educação física adaptada nas escolas e diagnóstico precoce de doenças raras

Paraíba fará censo de ciganos que vivem em mais de 45 municípios do Estado; contagem deve proporcionar políticas públicas para população