Justiça

Após audiência de custódia, padre Egídio é encaminhado para Presídio Especial em João Pessoa

Decisão de manutenção da prisão e encaminhamento para o presídio foi tomada pelo juiz André Carvalho durante audiência de custódia.

Caso Padre Zé: no STF, Carmem Lúcia nega pedido da defesa de Padre Egídio para suspender processo

Padre Egídio de Carvalho — Foto:Reprodução

O padre Egídio de Carvalho teve a prisão preventiva mantida e será levado para o Presídio Especial no bairro do Valentina, em João Pessoa. Segundo apurou o ClickPB, o padre passou por audiência de custódia no início da tarde desta sexta-feira (17) no Fórum Criminal, no Centro de João Pessoa.

A decisão do juiz André Carvalho, que está como plantonista, determinou a manutenção da prisão e encaminhamento do religioso para a unidade prisional. A justificativa para a ida a uma prisão especial é porque o padre Egídio de Carvalho tem curso superior.

Além do padre, o juiz também definiu a situação de Amanda Duarte e Jannyne Dantas, também presas e investigadas pelos desvios no hospital.

Como apurado pelo ClickPB, Amanda Duarte será mantida em prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, porque tem um filho de quatro meses e não poderia ser encaminhada a um presídio.

Já Jannyne Dantas também teve a prisão mantida e será encaminhada ao Presídio Feminino Júlia Maranhão, também em João Pessoa.

O padre Egídio foi preso nesta sexta-feira após cumprimento do mandado de prisão determinado pelo desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba. O religioso é investigado como chefe de um esquema de desvio de recursos e doações ao Instituto São José, que administra o Hospital Padre Zé e a Ação Social Arquidiocesana (ASA).

Além do padre Egídio, o desembargador Ricardo Vital determinou ainda as prisões de Amanda Duarte e Jannyne Dantas, ex-diretoras do Hospital Padre Zé.

Inicialmente, os três alvos dos mandados de prisão não foram localizados. No entanto, ainda durante a manhã, o padre Egídio foi localizado em um hotel na cidade de Recife, capital de Pernambuco. Após ser preso, o padre Egídio foi transferido para João Pessoa.

Conforme apurou o ClickPB, os desvios estimados em R$ 140 milhões aconteceram entre 2013 e setembro deste ano, momento em que foi deflagrada a Operação Indignus, investigando as irregularidades. O Instituto São José é responsável pelo Hospital Padre Zé e Ação Social Arquidiocesana.

Saiba mais:

COMPARTILHE

Bombando em Notícias Policiais

1

Notícias Policiais

Cachorro é resgatado com ferimento e outros sinais de maus tratos em Picuí e tutora é presa

2

Notícias Policiais

Acidente entre dois carros deixa ferido na BR-412, em Sumé

3

Notícias Policiais

Homem é preso após tentar abusar enteada deficiente em sítio de Pedra Branca

4

Notícias Policiais

Polícia Militar prende suspeitos por tráfico de drogas na cidade de Patos

5

Notícias Policiais

Polícia Federal prende no aeroporto de Natal homem procurado pela Justiça da Paraíba