Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

392 votos

Câmara aprova projeto que determina preço fixo do ICMS sobre os combustíveis; confira o voto dos deputados paraibanos

Três deputados, dos 12 paraibanos, votaram não e dois deles não computaram voto.

Confira o voto dos deputados federais no projeto que estabelece valor fixo do ICMS sobre os combustíveis. (Foto: Edição ClickPB)

Por

Por 392 votos a favor, 71 contra e duas abstenções, a Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (13), o projeto que determina um valor fixo para a cobrança do ICMS sobre combustíveis. A proposta segue para análise do Senado Federal, mas se aprovado mudará o cálculo sobre o valor produto.

Dos 12 deputados federais paraibanos, três votaram não: Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), Julian Lemos (PSL) e Damião Feliciano (PDT). Enquanto votaram sim: Edna Henrique (PSDB), Frei Anastácio (PT), Pedro Cunha Lima (PSDB), Wellington Roberto (PL), Efraim Filho (DEM), Gervásio Maia (PSB) e Ruy Carneiro (PSDB). Não computaram os votos, os deputados Hugo Motta (Republicanos) e Wilson Santiago (PTB).

Esse projeto, de acordo com a Câmara dos Deputados, obriga estados e o Distrito Federal a especificar a alíquota para cada produto por unidade de medida adotada, que pode ser litro, quilo ou volume, e não mais sobre o valor da mercadoria. Prevê-se que, na prática, essa proposta tornaria o ICMS invariável frente a variações do preço do combustível ou de mudanças do câmbio.

Estima que a mudança na legislação pode levar à redução no preço final praticado ao consumidor de, em média a 8% para a gasolina comum, 7% para o etanol hidratado e 3,7% para o diesel B. Hoje, o ICMS incidente sobre os combustíveis é devido por substituição tributária para frente, sendo a sua base de cálculo estimada a partir dos preços médios ponderados ao consumidor final, apurados quinzenalmente pelos governos estaduais. 

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Lula vê Brasil encalacrado e cobra aliados na trincheira de sua campanha em 2022

'Jamais vou exigir o passaporte de vacina', diz Bolsonaro a apoiadores

Efraim Filho é cotado como possível candidato a vice-presidente de Sérgio Moro, revela colunista

Sem opções na oposição, PTB fecha questão e decide lançar Nilvan Ferreira como pré-candidato ao Governo da Paraíba