Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Segunda vez

Conselheiro do TCE vota pela reprovação das contas de Luciano Cartaxo por alto número de contratados e julgamento é suspenso após pedido de vistas

O prefeito contratou pelo menos 14 mil pessoas.

Contas de Luciano Cartaxo é julgada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). (Foto: Walla Santos)

Por

Após o pedido de distas do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), Arnóbio Viana, a votação, que trata do julgamento das contas do exercício 2019 do ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), foi suspensa. A princípio, as contas do município seriam julgadas na semana passada, mas os conselheiros decidiram pelo adiamento. 

O conselheiro do TCE, André Carlo, votou pela emissão de parecer contrário no julgamento das contas em razão do alto número de contratação de pessoal, que chegava a 14 mil contratados. Além disso, destacou o mau gerenciamento de valor destinado pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O parecer do Ministério Público de Contas (MPC) é pela reprovação das contas de Cartaxo.

Entre as principais falhas apontadas, como o ClickPB apurou, estão a contratação de pessoal por tempo determinado sem atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, sendo, em 2019, 14 mil contratados; aplicação em manutenção e desenvolvimento do ensino (MDE) de apenas 24% dos recursos, quando o mínimo constitucional é de 25%; e inadimplência no pagamento da contribuição patronal de quase R$ 2,9 milhões.

No parecer do procurador-Geral foi solicitada aplicação de multa ao ex-gestor da Capital, "com fulcro no art. 56, inciso II, da LOTCE/PB, em função das contratações por tempo determinado sem atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, bem como ao descumprimento de resoluções deste Tribunal; remanesce certa discricionariedade ao gestor na escolha das medidas que reputa adequadas para a solução do problema. De qualquer modo, fica ciente o Gestor que sua omissão poderá ensejar responsabilização futura.

Confira o processo:


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Assembleia Legislativa da Paraíba retoma sessões nesta terça-feira e deputados decidem se retomam atividades presenciais

TSE pede ao STF que Bolsonaro seja investigado por disseminação de fake news contra urnas

Cícero Lucena participa de corrida em comemoração aos 436 anos de João Pessoa nesta terça-feira

Jackson Macêdo, Luiz Couto, Marcos Henriques e mais 110 dirigentes do PT manifestam apoio à filiação de Ricardo Coutinho, Márcia Lucena, Cida Ramos e Estela