Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Entrevista

Deltan Dallagnol diz que PEC promove retaliação do Ministério Público, aumenta a ingerência política e atinge o combate à corrupção

Considera a PEC uma medida de retaliação ao Ministério Público.

Deltan Dallagnol foi entrevistado nesta segunda-feira, no programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM. (Foto: Reprodução)

Por

O procurador da República Deltan Dallagnol, conhecido no Brasil pela atuação na Operação Lava-Jato, disse que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 5) promove retaliação do Ministério Público, aumenta a ingerência política e atinge o combate à corrupção. A medida tramita no Congresso Nacional e é considerado polêmica. o assunto foi tratado, em entrevista nesta segunda-feira (18), em entrevista ao Programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM.

“Se essa PEC 5 passar, investigações contra poderosos vão ser amarradas. haverá um clima de medo por que? Porque essa PEC cria um mecanismo para exista uma grande ingerência política o Conselho nacional do Ministério Público. E o que é o Conselho Nacional do Ministério Público? É um órgão que investiga e pune promotores e procuradores da República”, afirmou.

Leia mais:Procurador Deltan Dallagnol concede entrevista ao Arapuan Verdade nesta segunda-feira

Ainda de acordo com o procurador, a PEC vai na contramão e autoriza a possibilidade de revisar e anular atos e decisões de promotores e procuradores. “Abre uma grande comporta para retaliação, para vingança dos investigados, quando forem políticos poderosos, contra os investigadores. Isso amarra, cria um clima de medo. Isso viola uma garantia básica que precisa existir em todo o sistema de justiça, que é garantia de que os investigadores não irão sofrer retaliações e vinganças por fazerem corretamente o seu trabalho”, disse como acompanhou o ClickPB.

Dallagnol ainda considera a PEC 5 mais violenta o que a lei do abuso de autoridade. Ele explicou que o corregedor, responsável pela investigar o procurador, será indicado pela Câmara Federal e caso o Conselho Nacional não tenha um código de ética, este será regulamentado pelo Congresso Nacional com um código de punições e disciplinar.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

TCE rejeita recurso de Ricardo Coutinho e mantém reprovação de contas referentes a 2017

PT condiciona apoio a Veneziano ao Governo do Estado a palanque exclusivo para Lula e candidatura de Ricardo Coutinho ao Senado

Nilda Gondim quer que Veneziano dispute ao governo da Paraíba em 2022: “de um modo particular, eu torço sim”

Prefeito de Catolé do Rocha e seu grupo político declaram apoio a pré-candidatura de Murilo Galdino para deputado federal