Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Problemas

Empresários denunciam falta de transparência e restrição a empresas em licitação do lixo da Prefeitura de João Pessoa

“Não deixaram público e nem publicaram nos diários oficiais”, reclamou a engenheira. Ela também se queixou do caso e declarou que “se é aberto, tem que ser transparente”.

Os problemas da coleta de lixo em João Pessoa permanecem mesmo após a contratação emergencial de uma empresa (Foto: Reprodução/PMJP)

Por

A falta de publicidade e de transparência em processo licitatório emergencial da Prefeitura de João Pessoa está revoltando empresários do setor da coleta de resíduos. Nesta sexta-feira (31) uma empresária foi até a sede da EMLUR com a intenção de disputar a licitação para contrato emergencial. No entanto, de acordo com relato dela ao ClickPB, foi informada que o prazo encerrou ontem e não poderia participar.

A engenheira Tatiana, representante da empresa interessada na licitação, acusou a Prefeitura de João Pessoa de falta de transparência na concorrência. Ela considera que a Prefeitura acabou restringindo a concorrência para as empresas que quis.

“Não deixaram público e nem publicaram nos diários oficiais”, reclamou a engenheira. Ela também se queixou do caso e declarou que “se é aberto, tem que ser transparente”.

Segundo a engenheira Tatiana, “a EMLUR lançou a carta convite, mas não deixou público”, o que denota a falta de transparência do processo. Não somente ela, mas também outros empresários do setor reclamam da situação e pretendem até mesmo judicializar o caso.

Em contato com o ClickPB, Tatiana afirmou que está na sede da Superintendência da EMLUR aguardando seus advogados. De lá, ela pretende ir até o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) e até o Ministério Público para denunciar o fato. "Vim pegar, demonstrar meu interesse em participar e não deixaram participar, disseram que o prazo encerou ontem", lamentou a engenheira.

Um dos advogados da empresa comentou que quando se faz uma licitação e você não dá a publicidade para mais empresas ficarem sabendo, você perde a chance de ter a opção mais barata porque você não teve tantas empresas participando. A licitação para escolher uma empresa responsável pela coleta de lixo foi aberta em 2017 e ficou parado devido a contestações judiciais. Neste certame participaram 12 empresas. Para a licitação do contrato emergencial, a Prefeitura de João Pessoa, através da EMLUR, fez o convite a cinco empresas, sem explicar o critério utilizado para esta escolha.

Ainda segundo o advogado, o envio de propostas foi aberto na quarta-feira (29) e encerrado na quinta-feira (30) ao meio-dia.

Os problemas da coleta de lixo em João Pessoa permanecem mesmo após a contratação emergencial de uma empresa para substituir o serviço que teve a licitação vencida. Na última terça-feira (28) a Prefeitura de João Pessoa publicou contrato emergencial com a empresa EMS Eireli, do estado do Ceará, pelo valor de R$ 626.674,15 e vigência por 167 dias.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Morre aos 89 anos o primeiro prefeito de Cubati, Zezinho Preá, vítima de Covid-19

Provas sobre fake news podem ajudar ações de cassação no TSE

Vereador de João Pessoa convoca população para ajudar na elaboração de Plano de Retomada Gradual da Economia

Algo muito grave acontece com nossa democracia, diz Bolsonaro após ação autorizada pelo STF