Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

doação

Justiça da Paraíba manda Gaeco investigar doação de terreno no governo de Ricardo Coutinho para irmão de ex-secretário de Sergio Cabral, preso na Lava Jato

Após 07 anos da desapropriação, nada foi instalado no mencionado imóvel que se encontra atualmente totalmente abandonado

Ato do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) será investigado pelo Gaeco e Ministério Público da Paraíba por possível prática de crime de responsabilidade em doação de terreno para empresário do Rio de Janeiro ligado ao ex-governador Sergio Cabral (Foto: da Internet)

Por

A juíza Flávia da Costa Lins Cavalcante (1ª Vara da Fazenda Pública), determinou que o Gaeco e Ministério Público da Paraíba investiguem uma doação de terreno feita no governo Ricardo Coutinho,  por possível prática de crime de responsabilidade em doação de terreno para empresário do Rio de Janeiro ligado ao ex-governador Sergio Cabral.


A investigação, trata-se de ação anulatória de ato administrativo -desapropriação - de imóvel pertencente à empresa Itapoa onde empregava cerca de 300 funcionários diretos. Diz na decisão que o então Governador Ricardo Coutinho decretou de utilidade pública para fins de desapropriação a referida área para instalação de um projeto de energia Solar com a empresa Sollair, de propriedade do irmão de Sérgio Cortes então Secretário de Saúde de Sérgio Cabral, preso na operação lava jato.

Após 07 anos da desapropriação, nada foi instalado no mencionado imóvel que se encontra atualmente totalmente abandonado


A juíza determinou em audiência ocorrida no dia 27/11 a devolução do imóvel aos proprietários e ainda a remessa dos autos ao Promotor do Patrimônio Público, Adrio Nobre Leite, para apuração dos fatos relacionados a sua pasta e determinou a remessa do processo, onde existem muitas provas, ao Gaeco para apuração e providências na parte criminal.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Autoridades e políticos desejam melhoras a Bolsonaro; oposição pede reflexão sobre a pandemia

Eleições 2020: Cidadania terá candidatos a prefeito e vice-prefeito em 175 municípios paraibanos

Se Plano Real fosse tão extraordinário, PSDB não perderia quatro eleições, diz Guedes

Ricardo Coutinho, Cícero Lucena e Nilvan Ferreira são os nomes mais cotados para a prefeitura de João Pessoa, aponta enquete da Arapuan FM