Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Situação

Lula vê Brasil encalacrado e cobra aliados na trincheira de sua campanha em 2022

Ele falou em "podridão" no país, atacou as elites e se colocou como pré-candidato com "disposição".

​Lula também criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) pela recusa ao passaporte da vacinação. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quarta-feira (8) que a situação do Brasil está "encalacrada", ao citar dados sociais e da economia. Ele falou em "podridão" no país, atacou as elites e se colocou como pré-candidato com "disposição".

O petista disse que não poderá voltar ao Planalto para fazer menos do que fez em suas primeiras gestões (2003-2006 e 2007-2010), sem citar os dois mandatos da ex-presidente Dilma Rousseff (2011-2014 e 2015-2016).

Lula participou de um congresso organizado pela Força Sindical, em São Paulo. Em seu discurso, pediu aos sindicalistas que estejam na trincheira da campanha eleitoral de 2022 e em um eventual novo mandato seu na Presidência da República a partir de 2023.

Na mesma fala, sempre de improviso, o petista cobrou seus aliados a disputarem as eleições no ano que vem. Segundo ele, se os trabalhadores não entrarem em campanha, os empresários é que serão eleitos para o Congresso Nacional.

No mesmo discurso aos sindicalistas, o petista atacou o ministro Paulo Guedes (Economia), criticou a reforma trabalhista em discussão no Congresso com apoio do governo federal e cobrou um Estado forte que possa proporcionar benefícios à população e à classe trabalhadora.

Lula também criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) pela recusa ao passaporte da vacinação.

Um dia antes, o governo decidiu exigir uma quarentena de cinco dias de viajantes não vacinados que entrarem no Brasil. Pela nova regra, quem apresentar o certificado de imunização contra a Covid e teste negativo poderá cruzar a fronteira sem passar pelo período de isolamento.

A mudança contraria o discurso negacionista de Bolsonaro. Hora antes, em evento no Palácio do Planalto, o presidente comparou o passaporte da vacina a uma coleira.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Fiscalização: Fernando Catão diz que TCE-PB olhará "com outros olhos" para Lucena e municípios que tiverem problemas com vacinação contra Covid-19

Ana Cláudia Vital entrega cargo a João Azevêdo e deixa Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Municipal

Lígia Feliciano diz que PDT nacional permitiu diálogo com todos os partidos e quer montar palanque duplo para Ciro e Lula na Paraíba

Deputado revela que Heloísa Helena vai formalizar convite a João Azevêdo para filiação no REDE