Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Ataques

Moraes é líder da esquerda e inferniza o Brasil com Fachin e Barroso, diz Bolsonaro

Presidente já acionou STF e PGR contra o ministro relator do inquérito de fake news, alegando abuso de autoridade.

Bolsonaro e Moraes se cumprimentam em cerimônia no TST. (Foto: Gabriela Biló / Folhapress)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em um novo ataque a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta sexta-feira (20) que Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes "infernizam" o Brasil.

O chefe do Executivo disse ainda que Moraes se comporta como "líder de partido de esquerda".
Barroso é ex-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Fachin é o atual, e Moraes assumirá o comando durante as eleições deste ano. As falas de Bolsonaro fazem parte de ataques do presidente ao processo eleitoral.

"Temos três ministros que infernizam não só o presidente, mas o Brasil: Fachin, Barroso e Alexandre de Moraes. Esse último é o mais ativo e se comporta como o líder de partido de esquerda e de oposição. Esse inquérito da fake news, primeiro que fake news não existe", disse o presidente.

"Nos acusam de gabinete do ódio. Me apresenta uma matéria que achem que nasce do gabinete do ódio, não tem", completou em entrevista ao canal de YouTube do jornalista Cláudio Magnavita.

As declarações foram divulgadas em teaser da entrevista do presidente no YouTube -a íntegra deve ir ao ar ainda nesta sexta-feira (20).

Em outro trecho, ele disse que o Supremo é o "Poder mais forte" hoje e que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), tem agido de forma parcial.

"Não vou negar que apoiei [Pacheco para o cargo]. Eu não esperava que ele fosse ser tão parcial como ele está sendo ultimamente. Não quero atrito com ele, mas [há] uma parcialidade enorme", disse.

"Eu vejo na mídia e ele diz que está protegendo o Supremo. Não é atribuição nossa proteger o outro Poder, é tratar com dignidade e isenção, como propriamente diz a nossa Constituição. E o Poder mais forte no momento da República é o Supremo."

O presidente chegou a acionar nesta semana o STF e a PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o ministro Alexandre de Moraes, alegando abuso de autoridade. Na corte, o caso já foi arquivado, mas na PGR ainda está em análise.

Na tarde de quinta-feira (19), Bolsonaro e Moraes acabaram se encontrando durante evento em Brasília e trocaram cumprimentos cordiais na solenidade que marcou a posse de novos ministros no TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Nesta semana, Bolsonaro já havia dito também que o STF tem interferido em sua atuação na Presidência. "Mais da metade do meu tempo passo me defendendo de interferências indevidas do Supremo Tribunal Federal."

Nas últimas semanas, o presidente fez diversas insinuações golpistas em relação ao sistema eleitoral brasileiro, enquanto ministros do TSE e do Supremo deram respostas duras às ilações do chefe do Executivo.

Alvo de seguidos ataques de Bolsonaro, Moraes disse também nesta quinta-feira que a Justiça Eleitoral nasceu e segue com "vontade de concretizar a democracia e coragem para lutar contra aqueles que não acreditam no Estado democrático de Direito".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Romero Rodrigues acende a chama e revela que pode entrar na disputa ao cargo de governador: “Quem sabe? O futuro a Deus pertence!”

Áudio de Ribeiro aponta indício de interferência de Bolsonaro, diz MPF

Bolsonaro inicia motociata em Campina Grande sem capacete e Bruno Roberto na garupa

Jair Bolsonaro participa de cerimônia de entrega de residenciais na Paraíba e volta a criticar o isolamento social durante a pandemia