Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Procurador da República

PEC 5 pode prejudicar Operação Calvário na Paraíba, alerta Deltan Dallagnol sobre proposta que ameaça autonomia do Ministério Público

A declaração do ex-coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato foi dada ao programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, nesta segunda-feira (18).

De acordo com Deltan Dallagnol, a medida é considerada como "retaliação" ao trabalho de membros do Ministério Público.

Por

O procurador da República e ex-coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato, Deltan Dallagnol, alertou que a PEC 5, que tramita no Congresso Nacional, pode prejudicar os atos da Operação Calvário na Paraíba. A declaração foi dada ao programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, nesta segunda-feira (18). A proposta altera regras do Conselho Nacional do Ministério Público.

"A nossa interpretação é que é uma medida que promove, e tem por efeito, uma retaliação, uma vingança. Ela se aplica, inclusive, para o passado. Se as pessoas que vão entrar no Conselho Nacional têm ingerência política e entrarem por indicação política, elas vão julgar os atos praticados na Lava Jato, no Rio de Janeiro, na própria Operação Calvário, na Paraíba, na Operação Greenfield, em Brasília", destacou.

O Conselho Nacional do Ministério Público é órgão que investiga e pune procuradores e promotores da República. A PEC prevê que o próprio corregedor, responsável pela investigação, vai ser indicado pela Câmara dos Deputados e Senado Federal.

De acordo com Deltan, a medida, considerada como "retaliação" a membros do Ministério Público, possibilita mais interferências no trabalho dos promotores e procuradores do órgão e pode mudar rumos de investigações da Polícia Federal por todo o país.

"Membros do Ministério Público poderão ser punidos pelos políticos que eles investigam. Ou seja, você tá abrindo uma grande comporta para retaliação e vingança dos investigados quando forem políticos poderosos contra os investigadores. Isso amarra, cria um clima de medo e intimidação, violando uma garantia básica que precisa existir em todo sistema de Justiça que é a dos investigadores não sofrerem retaliações e vinganças por fazerem corretamente o seu trabalho", ressaltou.

Leia mais:

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

"TSE decidiu, está definido": Rosa Weber segue entendimento do TSE para manter inelegibilidade de Ricardo Coutinho; confira documento

Supremo nega seguimento de petição de Ricardo Coutinho e mantém inelegibilidade de petista

Paraíba tem seis candidatos ao Governo, quatro ao Senado, 293 à Assembleia e 169 à Câmara que já registraram candidaturas, a três dias do fim do prazo

Domiciano Cabral defende Pedro Cunha Lima sobre candidaturas 'em família': "na política não existe herança"