Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Religião

Editoria sobre Religião ir para editoria →

Mundo

Cúpula no Vaticano determinará novas regras contra pedofilia

O encontro ocorrerá no Vaticano, de 21 a 24 de fevereiro, com os presidentes de todas as Conferências Episcopais do mundo

Reunião de Papa com bispos ocorrerá em fevereiro, em Roma (Foto: Reprodução)

Por

A reunião que o papa Francisco fará em fevereiro com bispos do mundo todo terá como objetivo traçar novas regras para prevenção e combate à pedofilia na Igreja Católica. 

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, disse hoje (16) que o encontro servirá para que "todos os bispos tenham de maneira absolutamente clara o que é necessário fazer para prevenir e combater o drama mundial dos abusos contra menores de idade". 

O encontro ocorrerá no Vaticano, de 21 a 24 de fevereiro, com os presidentes de todas as Conferências Episcopais do mundo.

"O papa Francisco sabe que um problema global só pode ser enfrentado com uma resposta global. Ele deseja que esse encontro seja uma reunião de pastores, não uma conferência de estudos. Um encontro de oração e discernimento, operativo", disse o porta-voz.

Segundo Gisotti, para Francisco é "fundamental que, ao voltar aos seus países e suas dioceses, os bispos que estiveram em Roma sejam conscientes das normas a serem aplicadas e cumpram, assim, os passos necessários para prevenir os abusos, para cuidar das vítimas e para que nenhum caso seja encoberto ou ignorado". No ano passado, Francisco enfrentou uma série de acusações e escândalos de pedofilia na Igreja Católica, principalmente no Chile. 

Além disso, o arcebispo Carlo Maria Viganò, ex-núncio em Washington entre 2011 e 2016, publicou uma carta de 11 páginas em que acusou o Papa de "acobertar" denúncias sexuais contra o cardeal norte-americano Theodore McCarrick.

O argentino Jorge Mario Bergoglio, por sua vez, rebateu a acusação e, em várias declarações públicas, condenou a pedofilia. Ele chegou a dizer que os abusos sexuais "minaram" a credibilidade da Igreja, além de pedir para que os sacerdotes criminosos "se entregassem à Justiça".

Acompanhe mais notícias do ClickPB nas redes sociais:
 FacebookTwitterYoutube e Instagram
Entre em contato com a redação do ClickPB: 
Telefone: (83) 99624-4847
WhatsApp: (83) 99624-4847
E-mail: redacao@clickpb.com.br


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Cidade Viva realiza workshop “Homens que fazem famílias fortes e felizes”

GodStock promove ação de Casamento Coletivo na Cidade Viva de Sapé neste sábado

Papa pede por mundo sem armas nucleares em visita ao Japão

Mais de 500 mil fiéis devem participar da Romaria da Penha neste sábado