Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Religião

Editoria sobre Religião ir para editoria →

Vaticano

Humanidade deve abolir a guerra para evitar autodestruição, diz papa sobre Ucrânia

"Mais de um mês se passou desde a invasão da Ucrânia, desde o início desta guerra cruel e sem sentido, que, como toda guerra, é uma derrota para todos nós", disse o Papa.

O papa Francisco (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAUO, SP (FOLHAPRESS) — O papa Francisco denunciou neste domingo (27), em termos especialmente duros, "o martírio" da Ucrânia e "a agressão" ao país por parte da Rússia. "Diante do perigo da autodestruição, a humanidade deve compreender que chegou a hora de abolir a guerra, de cancelá-la da história do homem antes que ela apague o homem da história", disse ele a milhares de pessoas após a tradicional oração do Ângelus na praça São Pedro do Vaticano.

"Mais de um mês se passou desde a invasão da Ucrânia, desde o início desta guerra cruel e sem sentido, que, como toda guerra, é uma derrota para todos nós", disse o Papa. "Devemos repudiar a guerra, um lugar de morte onde pais e mães enterram seus filhos, onde homens matam seus irmãos sem sequer vê-los, onde os poderosos decidem e os pobres morrem".

"Essa é a bestialidade da guerra, algo que é bárbaro e sacrílego", afirmou o Papa, exortando seus ouvintes a não considerarem o confronto como inevitável ou algo com que se acostumar.

"Peço a todos os políticos envolvidos que reflitam sobre isso, se comprometam e, olhando para a Ucrânia martirizada, entendam que cada dia de guerra piora a situação para todos", disse.

Desde a invasão, que a Rússia chama de "operação militar especial", o papa tem criticado implicitamente Moscou, condenando fortemente o que chamou de "agressão injustificada" e denunciando "atrocidades".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Papa Francisco recebe cocar de bispos do Amazonas

Trabalho sem salário justo é escravidão, diz Papa

Papa Francisco não vai celebrar missa de Corpus Christi por causa de dor no joelho

Papa Francisco demite padre investigado por pornografia com adolescente no interior de São Paulo