Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Pandemia

Campina Grande tem maior ocupação de leitos covid-19 do estado e UTI do Hospital das Clínicas está quase lotada

Jhony Bezerra acredita que isso ocorre devido ao relaxamento das restrições e ao comportamento das pessoas.

UTI do Hospital das Clínicas só tem quatro leitos disponíveis de um total de 60 (Foto: Reprodução)

Por

A segunda macrorregião de Saúde da Paraíba, cujo polo é Campina Grande, tem a maior ocupação de leitos covid-19, com 69% dos leitos de UTI adulto e 84% dos leitos de enfermaria ocupados. No Hospital das Clínicas, 93,3% dos leitos de UTI estão ocupados, sobrando apenas quatro leitos disponíveis, de um total de 60. Os 10 leitos de semi UTI estão ocupados.

Em entrevista ao ClickPB, o diretor do Hospital das Clínicas, Jhony Bezerra, afirmou que o pico de ocupação ocorreu em março e com as medidas restritivas houve uma melhora, mas agora os números voltaram a aumentar.

Ele acredita que isso ocorre devido ao relaxamento das restrições e ao próprio comportamento das pessoas. ''Isso já é reflexo da mobilidade, as pessoas começam a se mobilizar se aglomerar e começa a subir'', disse.

Jhony Bezerra citou o caso do município de Esperança, que tem apresentado um número de casos bastante alto, o que reflete também na ocupação em Campina Grande. ''Hoje a cidade que mais tem pacientes internados no Hospital de Clínicas é Campina Grande, com 26% e depois vem Esperança com 12%'', disse.

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, disse que a macrorregião de Campina Grande é a que apresenta maior transmissibilidade da covid-19 e que isso se dá por uma série de fatores. Um dos motivos seria a flexibilização maior, já que o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, tem adotado posições divergentes dos decretos estaduais. Ele não adotou o toque de recolher, por exemplo, manteve igrejas abertas e o funcionamento normal dos bares.

Outra questão seria o comportamento da própria população, que, segundo o secretário, relaxou nos cuidados e tem formado aglomerações e andado sem máscaras na rua. ''No Açude Velho ficam grupos de dez pessoas aglomeradas conversando, gente caminhando, correndo sem máscara'', relatou.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Paraíba confirma 26 mortes e 2.391 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira

Paraíba recebe 26.550 doses de vacina Janssen contra Covid-19 nesta quinta-feira

Marcação e Baía da Traição recebem 100% de vacinas contra Covid-19 para primeira dose e comissão decide interromper envio de novas remessas

Prefeitura de João Pessoa faz 'Dia D da Segunda Dose' com 12 horas de vacinação contra a Covid-19 nesta quinta-feira