Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Saúde

Desconto em preço de remédio de maconha provoca tensão no setor

Procurada pela reportagem, a HempMeds afirma que vai submeter as práticas ao compliance para reavaliar.

A HempMeds anunciou recentemente uma redução fixa de até 30% em todos os seus produtos, e em média de 20%. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — A HempMeds, uma das pioneiras no mercado de canabidiol no Brasil, provocou tensão no setor após lançar uma ação de rebaixa de preços no mês passado. E o caso deve ser analisado pelo comitê de ética da BRCann, associação que reúne a indústria de maconha medicinal.

A HempMeds anunciou recentemente uma redução fixa de até 30% em todos os seus produtos, e em média de 20%. Segundo a empresa, o objetivo foi mitigar o impacto da inflação para o consumidor. A redução na margem seria compensada pelo aumento da base de clientes e, consequentemente, do volume de vendas.

O problema é que a HempMeds também ofereceu cupons de desconto, e a Anvisa proíbe a distribuição de benefícios e vantagens não só aos clientes, mas também aos profissionais prescritores e dispensadores.

Procurada pela reportagem, a HempMeds afirma que vai submeter as práticas ao compliance para reavaliar.

"A HempMeds não oferece qualquer tipo de compensação ou vantagem aos médicos. A marca tem absoluto respeito pelo ato médico e sua autonomia de prescrição. A empresa também é contrária a qualquer prática que viole a norma sanitária em vigor. Os descontos oferecidos representam uma transição na política de preços da importadora, como forma de mitigar a crise econômica no país", diz a empresa em nota.

A BRCann afirma que "defende o cumprimento da regulação vigente por seus associados, bem como o respeito aos códigos de ética do CFM [Conselho Federal de Medicina] e da própria associação, que prevê penalidades para os associados que descumprirem as normas".

Outros casos semelhantes ao da HempMeds também vêm sendo apontados no setor, que ainda tem brechas regulatórias facilitando práticas contestadas e deve elevar o escrutínio, segundo especialistas.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2022 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Jovens de 12 a 17 anos podem participar de testes de vacina contra chikungunya; saiba como

Imunização contra Covid-19 em João Pessoa segue nesta segunda-feira em vários pontos

Tecnologia da vacina contra a covid-19 é estudada para HIV e câncer

Varíola dos macacos: 2,9 mil casos são investigados em 8 centros do SUS; entenda como está a testagem no país