Saúde

Diretor do Napoleão Laureano diz que relatório da CGU não aponta ilícitos; apesar de ser privado, 90% dos procedimentos são pelo SUS

O diretor Marcelo Lucena afirma que o Hospital Laureano tem prontuário eletrônico, o que é uma tendência no Brasil inteiro, e é uma ferramenta importante para evitar erros.

Marcxelo Lucena

Diretor do Hospital Napoleão Laureano afirma que não há ilicitudes na unidade, mas alguns erros estão sendo corrigidos.

“Estamos tomando por base esse relatório da CGU para fazer as correções, mas é importante que não se misture as coisas. Não tem nenhum tipo de ilícito do Laureano”. A afirmação foi feita pelo presidente da Fundação Napoleão Laureano, Marcelo Lucena, durante o programa Arapuan Verdade desta sexta-feira (9), como acompanhou o ClickPB.

Ele ressaltou que o relatório é do ano de 2021 e que, de fato, serve de embasamento para algumas correções, mas boa parte já foi corrigida. Destacou também que hoje o hospital é informatizado, o que facilita no processo de organização dos dados.

Marcelo Lucena disse também que a maioria dos apontamentos da CGU são relativos à parte burocrática de faturamento SUS, de alguns atendimentos a pacientes e alguns erros por parte do hospital, algumas falhas no serviço dos médicos que esqueceram, por exemplo, de assinar um prontuário, falta de alguns receituários.

“Hoje o Hospital Laureano tem prontuário eletrônico, o que é uma tendência no Brasil inteiro, e é uma ferramenta importante que evita qualquer tipo de erro. Com isso, conseguimos sanar boa parte desses apontamentos. O relatório tem sido acompanhado”, comentou.

Em nenhum momento, segundo ele, o relatório apontou algum tipo de ilícito do Laureano. “Não tem desvio de recurso. Muita gente está propagando informações que não existem no relatório. Nele tem erros e apontamentos no sentido de falta de documentos, falta de assinaturas, mas não tem nenhum tipo de ilícito do Laureano. Estamos tomando por base esse relatório da CGU para fazer as correções, mas é importante que não se misture as coisas”.

Marcelo Lucena avalia o Laureano como um hospital muito importante, que vem crescendo cada vez mais na Paraíba. É o principal hospital oncológico do estado, único Centro de Oncologia da Paraíba. “Vem crescendo com quantitativo de serviços cada vez mais qualificados, diversas premiações. Isso tem que ser levado em conta para que o hospital, de 62 anos, não caia na descredibilidade”.

90% dos atendimentos são de pacientes do SUS

O Hospital é privado e atende aproximadamente 90% de pacientes do SUS. Pela lei, para que seja filantrópico, tem que atender, no mínimo, 60%. Os outros hospitais estão reduzindo o atendimento do SUS, porque o atendimento do SUS é muito deficitário, e estão aumentando o atendimento privado. O Laureano não faz isso. O próprio Laureano disse que queria que atendesse o SUS. 

Se deixarmos o hospital atendendo 100% SUS, o hospital não dura muito tempo. Esse lucro que teríamos na parte privada e de plano de saúde é revertido para tapar o buraco do SUS, que paga R$ 10 por uma consulta médica. Essa tabela é de 2008. Essa é a nossa realidade do SUS.

Veja Mais

Hospital Napoleão Laureano é notificado pela Prefeitura de João Pessoa após denúncias de pacientes sem atendimento

Hospital Napoleão Laureano recebeu pagamento por internação de pacientes mesmo após morte, revela superintendente da CGU na

Napoleão Laureano recebeu pelo menos R$ 63 mil do SUS por procedimentos não realizados, mostra relatório da CGU

MPF e MPPB recomendam que Saúde de João Pessoa assuma regulação e agilize atendimento no Hospital Napoleão Laureano

Pacientes esperavam até seis meses para receber medicamento contra o câncer no Hospital Napoleão Laureano, mostra CGU

Ministério Público pede interrupção de emendas parlamentares para o Hospital Napoleão Laureano após constatar falhas no uso

Relatório mostra que mais de 520 pacientes morreram no Napoleão Laureano em 2021; taxa de óbitos é a maior do Nordeste

Hospital Napoleão Laureano: MPF e MPPB lançam formulário para receber denúncias e mapear atrasos em marcações

Remédios eram prescritos com nome errado no Hospital Napoleão Laureano; CGU cita risco à saúde dos pacientes

Prefeitura de João Pessoa define comissão para supervisionar serviços contratados pelo Hospital Napoleão Laureano, após denúncias de irregularidades

 

COMPARTILHE

Bombando em Saúde

1

Saúde

Após reações, governo Lula recua e suspende nota técnica sobre aborto legal até 9 meses

2

Saúde

Paraíba confirma terceira morte por dengue e outros dois casos estão em investigação

3

Saúde

Evento científico em João Pessoa discute novas estratégias de rastreamento para câncer de colo uterino 

4

Saúde

Campanha de vacinação contra a gripe é antecipada e começará em março

5

Saúde

Entenda a diferença dos sintomas de dengue e de covid-19