Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Ocupação

Efeito da pandemia: Paraíba tem 52 pacientes em fila de espera por leito de UTI e 22 em fila para enfermaria

Quatro pacientes aguardam leitos de UTI no Sertão e os outros estão na região que tem João Pessoa como polo.

Pacientes estão na fila aguardando leitos (Foto: Reprodução)

Por

A Paraíba tem nesta segunda-feira (15), 52 pacientes de covid-19 aguardando um leito de UTI e outros 22 na espera por um leito de enfermaria. As informações foram enviadas ao ClickPB pelo secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros. 

São 48 pacientes aguardando leito de UTI na 1ª Macrorregião, que inclui João Pessoa. Destes 28 estão em Unidades de Pronto Antendimento (UPAs), sendo 20 em João Pessoa. Os demais estão internados em hospitais. A 1ª Macro também tem 22 pacientes na fila por leitos de enfermaria, sendo 18 em UPAs e 13 deles em João Pessoa. Os demais estão internados em hospitais.

Outros quatro pacientes estão na fila por um leito de UTI na 3ª macrorregião, no Sertão da Paraíba. Três deles estão em UPAs e um em hospital.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) destacou que todos os pacientes estão internados em UPAs e hospitais recebendo atendimento e não estão desassistidos. eles apenas aguardam um leito mais adequado às suas necessidades.

A SES explicou que diversos fatores podem levar o paciente a ficar aguardando um leito. É preciso observar se o paciente tem condições clínicas de suportar uma transferência e também é preciso que haja um leito que se enquadre nas necessidades daquele paciente. Não adianta, por exemplo, colocar um paciente de alta complexidade em um leito simples.

Outra questão que pode contribuir para a formação de filas é que sempre que um leito é desocupado, ele precisa passar por um processo de higienização e preparação para receber outro paciente e, portanto, a transferência não pode ser imediata.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Brasil registra 303 mortes por Covid e chega a 604 mil vidas perdidas

Casos de gripe sobem no Rio de Janeiro e em São Paulo após flexibilização de regras contra Covid

Infectologista revela que pacientes abandonaram tratamento contra tuberculose e HIV durante pandemia em João Pessoa: "importante voltarem"

Paraíba registra 5 mortes, 532 novos casos e 18% de ocupação de leitos Covid-19