Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Concentração

Saúde de Conde identifica que pacientes com malária foram infectados em Carapibus e Jacumã

Dos 10 casos de malária em Conde, nove foram de moradores da região e um foi de uma mulher que mora em João Pessoa, mas que tem casa de veraneio no município do Litoral Sul.

Todos os casos foram detectados em Carapibus e Jacumã, o que aponta para uma concentração das infestações (Foto: Reprodução)

Por

Até a tarde desta quinta-feira (06) a cidade de Conde, no Litoral Sul do Estado, já confirmou dez casos de pessoas infectadas por malária. Todos os casos foram detectados em Carapibus e Jacumã, o que aponta para uma concentração das infestações.

Um óbito passou a ser investigado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), para que se identifique se também seria uma pessoa com malária.

A secretária de Saúde de Conde, Renata Domingos, explicou ao ClickPB que um levantamento aponta a possibilidade de que uma pessoa chegou ao município de Conde com a malária, no Carnaval, foi picada pelo mosquito prego (Anopheles, transmissor da doença) e, então, o mosquito infectado picou moradores de Conde.

Essa análise da transmissão da doença foi feita por profissionais da Secretaria de Estado da Saúde e do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do SUS (EpiSUS), do Ministério da Saúde. Dados de prontuários e a análise do período em que começaram a surgir os casos levaram o grupo que investiga a aparição dos infectados a esse raciocínio.

Ainda de acordo com a secretária, dos 10 casos de malária em Conde, nove foram de moradores da região e um foi de uma mulher que mora em João Pessoa, mas que tem casa de veraneio no município do Litoral Sul. Ela destacou, também, que, com o surgimento dos casos, os habitantes mais próximos dessas pessoas foram visitados pelas equipes de saúde para que fizessem exames e fornecessem informações que pudessem ajudar os profissionais a controlar a transmissão da doença.

As pessoas com sintomas de malária são direcionadas a dois tipos de exames: o teste rápido feito com gota de sangue aplicada a um aparelho semelhante a um teste de gravidez e um teste com gota de sangue na lâmina, a qual é enviada ao Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (LACEN-PB) e analisada por um especialista em malária que trabalhou na região amazônica.

Renata Domingos também relatou ao ClickPB que os profissionais da Saúde de Conde foram capacitados para o manejo clínico da malária, através dos testes e diagnósticos. Antes, os testes para diagnóstico de malária eram feitos apenas com quem apresentava sinal de febre alta, acima de 39 graus. Agora, a simples febre já é motivo de se realizar o teste na pessoa com sintoma. "Chegou (paciente) com febre, já fazemos os testes. Todo dia a gente está fazendo", revelou a secretária sobre a frequência de chegada de pacientes com sintomas às unidades básicas de saúde municipais.

A titular da pasta da Saúde de Conde também destacou que a malária não tem vacina para combatê-la, mas que tem cura com tratamento por medicamentos fornecidos pelo SUS.

Ela também lembrou que o município fará um novo Dia D, no sábado (8), com informações e visitas às famílias para esclarecimentos e testes sobre a doença. Renata Domingos enfatizou dicas de prevenção contra a malária: usar repelente, mosquiteiro, evitar aproximação de rios e maceiós das 4h às 8h e das 18h às 22h, horários de concentração dos mosquitos nessas áreas.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Confira os seis hábitos que evitam enjoos na gravidez

MPF dá dez dias para Ministério da Saúde regularizar fornecimento de remédios de alto custo na PB

Mais de 300 casos de câncer de próstata foram diagnosticados no ano 2019 em João Pessoa

Vírus da zika pode inibir a proliferação das células do câncer de próstata, diz estudo