Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Tecnologia

Editoria sobre Tecnologia ir para editoria →

Investimento

Após criptomoeda Luna colapsar, Bitcoin tem perda de US$ 200 bi em 24h

Na quarta-feira (11), a cotação do Bitcoin caiu 10%, chegando ao valor mais baixo desde dezembro de 2020, de acordo com a Bloomberg. O Ethereum, por sua vez, despencou 16%.

As quedas seguem o colapso da criptomoeda Luna que na quarta-feira chegou à mínima de despencar 94%. (Foto: Reprodução/SeuDinheiro)

Por

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Segundo estimativas do site CoinMarketCap, o Bitcoin teve uma perda equivalente a cerca de 200 bilhões de dólares em Bitcoins foram vendidas em 24 horas, ao longo da quarta-feira (11). Esta criptomoeda não foi a única a despencar, o Ethereum, por exemplo, também teve perda expressiva.

Na quarta-feira (11), a cotação do Bitcoin caiu 10%, chegando ao valor mais baixo desde dezembro de 2020, de acordo com a Bloomberg. O Ethereum, por sua vez, despencou 16%.

As quedas seguem o colapso da criptomoeda Luna que na quarta-feira chegou à mínima de despencar 94%. A situação ficou ainda mais grave hoje (12), quando a moeda opera com mais de 99% de queda e está cotada a US$ 0,016.

Ao longo da madrugada já era possível perceber que a grande perda de ontem continuaria a ser sentida hoje, uma vez que ações relacionadas a criptomoedas caíram nos mercados asiáticos.

Nesta quinta-feira (12), às 12h06 do horário de Brasília, o Bitcoin caía 6,62% e o Ethereum 13,92%. A perda semanal destas moedas foi de 22,65% e 28,70%, respectivamente.

Outro fator que tem influenciado a queda das criptomoedas é o fato de os Bancos Centrais ao redor do mundo estarem agindo de forma mais agressiva para segurar a inflação, como foi o caso do aumento das taxas de juros no Brasil e nos Estados Unidos. Neste cenário, investidores tendem a fugir dos ativos de risco.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Jovem é aprovado em 28 universidades nos Estados Unidos por habilidades no jogo on-line Fortnite

Rocha atinge Júpiter com força de 2 milhões de toneladas de TNT e provoca maior clarão já visto desde 1994

Filha de Elon Musk pede para mudar de nome para cortar relação com o pai bilionário

Luva de Pedreiro desabafa, anuncia pausa nos vídeos e preocupa fãs