Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Tecnologia

Editoria sobre Tecnologia ir para editoria →

Mundo

Testes com antiviral têm resultados promissores contra coronavírus

Cientistas dos EUA concluíram que droga reduziu danos nos pulmões e nas vias aéreas de camundongos; testes em humanos começam em breve

"O EIDD-2801 promete não apenas tratar pacientes com covid-19 hoje, mas também tratar novos coronavírus que possam surgir no futuro", completou. (Foto: Reprodução)

Por

Um antiviral oral de amplo espectro, já desenvolvido, apresentou resultados promissores em testes contra o novo coronavírus (SARS-CoV2), que provoca a doença covid-19. As conclusões estão em um estudo norte-americano publicado nesta segunda-feira (6) no periódico científico Science Translational Medicine.

O medicamento chamado EIDD-2801 pode mudar a maneira como os médicos tratam a covid-10, já que se mostrou capaz de reduzir danos causados pelo vírus nos pulmões e nas vias aéreas de ratos. Em breve, os ensaios clínicos serão feitos em humanos.

Os cientistas - da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, do Centro Médico da Universidade Vanderbilt, e da ONG DRIVE (Drug Innovation Ventures at Emory) — descobriram que, quando usado como profilático (antes da infecção), o EIDD-2801 pode prevenir lesões pulmonares graves em camundongos infectados. Esta é uma variação em comprimido de outro antiviral, o EIDD-1931 (aplicado por via endovenosa).

Quando administrado como tratamento 12 ou 24 horas após o início da infecção, o EIDD-2801 pode reduzir o grau de dano pulmonar e perda de peso em camundongos.

Espera-se que essa janela de oportunidade seja mais longa em humanos, porque o período entre o início da doença por coronavírus e a morte é geralmente prolongado em humanos, em comparação com ratos, de acordo com o estudo.

O EIDD-2801 é semelhante ao remdesivir, uma droga antiviral desenvolvida contra o ebola, mas que tem sido testada em pacientes infectados pelo SARS-CoV2. Nenhuma das duas substâncias é usada no Brasil, nem mesmo para pesquisa.

"Estamos impressionados com a capacidade do EIDD-1931 e do EIDD-2801 de inibir todos os coronavírus testados e com o potencial de tratamento oral da covid-19", disse a cientista Andrea Pruijssers, da Universidade Vanderbilt, uma das autoras do estudo.

Os ensaios clínicos do EIDD-2801 em humanos devem começar ainda no primeiro semestre deste ano. Se obtiverem sucesso, o medicamento pode ser usado não apenas para limitar a disseminação do SARS-CoV2, mas também para controlar futuros surtos de outros coronavírus emergentes.

"Com três novos coronavírus humanos surgindo nos últimos 20 anos, é provável que continuemos a ver mais", disse o primeiro autor do estudo, Timothy Sheahan, professor de epidemiologia da Escola Gillings de Saúde Pública Global, ligada à Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill.

"O EIDD-2801 promete não apenas tratar pacientes com covid-19 hoje, mas também tratar novos coronavírus que possam surgir no futuro", completou.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Twitter diz que irá analisar algoritmo de prévia de imagens após queixas de racismo por usuários

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo

Trump diz que daria 'bênção' a negócio entre Oracle e TikTok; governo fala em adiar bloqueio ao app

Lei Geral de Proteção de Dados: o que muda para os cidadãos? Veja perguntas e respostas