Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Turismo

Editoria sobre Turismo ir para editoria →

Isolamento

Brasileiros em navio rejeitado por 4 países temem não conseguir voltar para casa

Embarcação Norwegian Jewel seguirá viagem para o Havaí após países recusarem o desembarque de passageiros por receio do novo coronavírus.

Brasileiros que estão no navio Norwegian Jewel aguardam solução de retorno ao Brasil após embarcação ser rejeitada em quatro países da Oceania (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Por

Brasileiros a bordo do navio Norwegian Jewel ainda aguardam uma definição sobre como conseguirão voltar para casa. Após partir da Austrália no fim de fevereiro, a embarcação foi recusada em quatro países no Pacífico Sul por causa das medidas de contenção à pandemia do novo coronavírus (veja mais abaixo o percurso do cruzeiro).

A empresa responsável pelo cruzeiro definiu que a viagem seguirá para o Havaí, arquipélago pertencente aos Estados Unidos — o problema é que nem todos têm visto norte-americano, o que dificultaria a volta ao Brasil.

Ao G1, a passageira cearense Marta Soares assegurou que todos no Norwegian Jewel estão bem. "Não tem ninguém doente, e a companhia está dando o mesmo tratamento do cruzeiro: temos refeições, lazer e shows. Tudo o que um cruzeiro normal oferece", disse.

"O nosso problema é conseguir desembarcar e como voltar para casa — uma vez que todo nosso [trajeto] aéreo foi perdido e são vários os problemas de entrada em países e aeroportos", acrescentou.

As autoridades dos EUA permitem que dois passaportes sejam mostrados na entrada no país: o mais recente, válido, e outro antigo com o visto no prazo de validade, caso ele tenha sido emitido antes da obtenção da nova documentação brasileira.

"Meu passaporte estava vencendo para esta viagem e renovei. Deram outro passaporte, e, como não ia para os Estados Unidos, não fui acertar. E meu marido é um dos que está com o visto norte-americano vencido", preocupa-se a brasileira.

Além disso, nenhum passageiro havia comprado passagens aéreas para o cruzeiro por Honolulu. Afinal, o Havaí nunca fez parte do itinerário inicialmente previsto para o Norwegian Jewel.

O médico brasileiro Nelson Mesquita, que está no navio, estima que haja 50 brasileiros na embarcação. A empresa responsável não confirmou o número exato. 

"Estamos solicitando ajuda do governo brasileiro para que nos resgate assim que chegarmos a Honolulu, porque achamos que essa é a melhor forma de encaminhar a solução para o problema que estamos vivendo", pediu o médico.

O G1 entrou em contato com o Ministério de Relações Exteriores para saber se há previsão de alguma medida para resgatar os brasileiros que chegarão ao Havaí. Até a última atualização desta reportagem, o Itamaraty não havia respondido ao pedido de informação.

LEIA MAIS: Cruzeiro com dois mil passageiros navega no Pacífico Sul após ser rejeitado por quatro países

Entenda o percurso

A viagem começou em 28 de fevereiro, em Sydney e terminaria nesta sexta-feira em Papeete, no Taiti — território que pertence à França. Por causa do novo coronavírus, a empresa Norwegian Cruise Line (NCL), responsável pelo cruzeiro, interrompeu o percurso e solicitou o desembarque em Auckland, na Nova Zelândia.

Entretanto, a entrada do navio foi recusada tanto pelas autoridades francesas quanto pelas neozelandesas. A embarcação também não pode retornar à Austrália e foi impedida de chegar a Fiji, um arquipélago da Oceania. Todos os países adotaram restrições devido à pandemia de Covid-19.

A NCL, então, definiu que o navio deveria passar em Pago Pago, na Samoa Americana, apenas para reabastecimento nesta terça-feira (17). De lá, o navio segue viagem para Honolulu, no Havaí. 

O médico Nelson Mesquita, do Rio de Janeiro, conta que o navio navegou "sem rumo pelo Pacífico Sul". "Não tivemos por parte do capitão nenhuma evidência de uma solução imediata para isso", relatou.

"Compreendemos a dificuldade que ele tem, mas isso nos causou grande angústia por não sabermos qual nosso destino final", disse Nelson.

O que diz a empresa?

Em nota, a Norwegian Cruise Line (NCL) disse que vai recolocar os passageiros que reservaram voos pela companhia de cruzeiros em outras viagens. Para aqueles que comparam bilhetes aéreos por fora, a operadora também diz que vai reembolsar "qualquer taxa adicional".

A NCL também informou que os passageiros do Norwegian Jewel poderão requisitar reembolso e compensação pelas seguintes modalidades:

  • crédito de 150% do valor original pago para o cruzeiro a ser usado em outra viagem até 31 de dezembro de 2022
  • reembolso da viagem, que pode ser solicitado até 23 de março.
  • Além disso, a empresa assegurou que os passageiros do Norwegian Jewel terão direito a maior acesso à internet dentro do navio "para que possam fazer os trâmites de viagem necessários e se comunicar com amigos e família".


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Construtora Alliance arremata Mussulo Resort, no Litoral Sul da Paraíba, por R$ 7,5 milhões em leilão da Justiça do Trabalho

Fernando de Noronha lidera ranking de melhores praias do mundo

Primeiro fim de semana após reabertura anima empresários de hotéis e empreendimentos em Pipa

Polícia Civil prende três suspeitos e apreende adolescente da gangue da marcha ré em Sapé