Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Operação Cartão Vermelho 2

Polícia Federal cumpre mandados em ação que investiga desvio de verba para construção de hospital contra Covid em Fortaleza

A Operação Cartão Vermelho 2 ocorre em domicílios de investigados, em Fortaleza e Brasília. Ação investiga se há desvio de recurso para construção do hospital no estádio Presidente Vargas.

Cerca de 35 policiais federais e 8 servidores da CGU estão cumprindo sete mandados de busca e apreensão. (Foto: Polícia Federal)

Por

A Polícia Federal cumpre na manhã desta segunda-feira (23) sete mandados de busca e apreensão, contra grupo investigado por crimes de corrupção, malversação, desvio de recursos públicos federais e fraude em procedimento de dispensa de licitação, no contexto do enfrentamento ao coronavírus. A suspeita é se houve desvio de verba para construção Hospital de Campanha montado no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza.

A Operação Cartão Vermelho 2 ocorre em domicílios de investigados, em Fortaleza e Brasília, com objetivo de dar andamento ao inquérito policial que apura indícios de atuação criminosa de servidores públicos, dirigentes de organização social sediada em São Paulo contratada para gestão do hospital de campanha e empresários.

O G1 procurou a Prefeitura de Fortaleza para comentar o caso e aguarda resposta.

O estádio de futebol Presidente Vargas teve as atividades esportivas suspensas em abril de 2020 para sediar uma unidade de saúde construída em situação de emergencial. O hospital foi desativado em setembro do ano passado, após atender 1,2 mil pacientes com Covid, segundo a Prefeitura de Fortaleza.

Início das investigações

As investigações tiveram início em 2020 e, a partir dos dados coletados e analisados pela PF e CGU na primeira fase da Operação Cartão Vermelho deflagrada em novembro de 2020, foram reforçados indícios de conluio entre os investigados para direcionar escolha de organização social, com pagamentos superfaturados, transações com empresas de fachada, desvio de recursos públicos federais e enriquecimento ilícito dos investigados.

As investigações continuam com análise do material apreendido na operação policial e do fluxo financeiro dos suspeitos. Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude à licitação, peculato, ordenação de despesa não autorizada por Lei e organização criminosa, e, se condenados poderão cumprir penas de até 33 anos de reclusão.

A operação acontece em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU). Cerca de 35 policiais federais e 8 servidores da CGU estão cumprindo os mandados de busca e apreensão.

Hospital Emergencial de Campanha do Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza. — Foto: Divulgação

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Homem é assassinado a tiros em João Pessoa ao ser surpreendido por criminosos em carro

Empresário é acusado de xingar criança que vendia doces no Parque Cabo Branco e clientes se revoltam

Polícia Civil apreende quase 300kg de drogas escondidas em depósito e prende dois suspeitos de tráfico em João Pessoa

​Idoso preso por engano é solto em João Pessoa após ficar três dias na Central de Polícia Civil