Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Família e estudante picado por naja no DF serão multados em R$ 78 mil pelo Ibama

Para jovem, sanção é de R$ 61 mil. Já mãe e padrasto terão que pagar R$ 8,5 mil, cada, por terem dificultado ação de resgate do animal.

Um amigo de Pedro Henrique, suspeito de abandonar a naja próximo a um shopping após o incidente, vai receber multa de R$ 81,3 mil. (Foto: Reprodução)

Por

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou, nesta quinta-feira (16), que vai aplicar R$ 78 mil em multas ao estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Krambeck – picado por uma cobra da espécie naja na semana passada –, a mãe e o padrasto dele.

De acordo com o Ibama, o estudante será multado em mais de R$ 61 mil, por maus-tratos e por manter serpentes nativas e exóticas em cativeiro sem autorização. Já os parentes vão receber sanção de R$ 8,5 mil cada, por terem dificultado a ação de resgate do animal.

Um amigo de Pedro Henrique, suspeito de abandonar a naja próximo a um shopping após o incidente, vai receber multa de R$ 81,3 mil. Segundo o Ibama, ele será autuado por dificultar a ação do instituto, manter animais nativos e exóticos em locais inapropriados e sem autorização, além de maus-tratos 

Nesta quinta, a mãe do jovem, Rose Meire dos Santos Lehmkuhl, prestou depoimento por quatro horas na 14ª Delegacia de Polícia, no Gama. Já o padrasto, o tenente-coronel da Polícia Militar do DF Eduardo Condi, foi alvo de uma operação da Polícia Civil que investiga tráfico de animais exóticos.

O celular do militar foi apreendido. Ele também prestou depoimento durante a tarde. A Polícia Civil pretendia ouvir o estudante de veterinária Pedro Henrique Krambeck. No entanto, ele não esteve na delegacia até o fim da tarde desta quinta.

Relembre o caso

O jovem foi picado pela cobra da espécie naja, que não existe na fauna brasileira, no dia 7 de julho. Ele ficou internado por seis dias em um hospital particular no Gama, sendo cinco em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Pedro precisou receber soro antiofídico do Instituto Butantan, em São Paulo, por causa da picada da naja – uma das cobras mais venenosas do mundo, originária de regiões da África e da Ásia. A unidade era a única que possuía o soro no país.

A Polícia Civil apura se o rapaz estava envolvido em um esquema de tráfico de animais. Segundo os investigadores, o estudante criava a cobra em casa, ilegalmente.

Após o incidente, a naja foi encontrada em uma caixa próximo a um shopping no Setor de Clubes Esportivos Sul. Um amigo foi o responsável por abandonar a serpente naja no local, conforme a polícia.

Segundo as investigações, o suspeito disse diversas vezes que entregaria a cobra e chegou a passar endereços diferentes de onde ela seria encontrada, até deixá-la próximo ao centro comercial.

No dia seguinte, os investigadores apreenderam outras 16 cobras que seriam de Pedro, no haras de um outro amigo dele, em Planaltina. O dono desse local será multado pelo Ibama em R$ 68 mil.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

STF nega 8 habeas corpus pedidos pela defesa de Daniel Silveira

​Luísa Sonza rebate internauta falou de mudança em sua aparência

Brasil tem média móvel de 339 mortes diárias por Covid; média de casos completa 14 dias apontando queda

'Arrasado pela perda de minha amiga', diz diretor ferido por disparo de Alec Baldwin