Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

No Altiplano

Banco do Brasil e construtora GBM descumprem decisão judicial e ainda não removeram guindaste de prédio em João Pessoa três meses após liminar

O juiz Marcos Jatobá já havia ordenado tanto à construtora como ao banco que retirassem a grua e o elevador cremalheira, sob pena de multa diária de R$ 5 mil até o limite de R$ 300 mil.

Os compradores vão gerir a obra e precisam que o guindaste e o elevador, que não é deles, seja removido, para a continuidade das obras, agora sob gerência da Associação dos Compradores dos Apartamentos. (Foto: Divulgação)

Por

O Banco do Brasil e a GBM Engenharia estão descumprindo uma liminar judicial que determina a retirada de um guindaste do alto do Edifício Liége, no bairro Altiplano, em João Pessoa. No final de setembro de 2021, o ClickPB mostrou que, em nova decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), o desembargador José Ricardo Porto manteve a liminar que determinou que a responsabilidade para a retirada o guindaste é do Banco do Brasil e da GBM Engenharia.

O juiz Marcos Jatobá, da 17ª Vara Cível de João Pessoa, já havia ordenado tanto à construtora como ao banco que retirassem a grua e o elevador cremalheira, sob pena de multa diária de R$ 5 mil até o limite de R$ 300 mil.

A multa está se acumulando em mais de R$ 140 mil pela não retirada do equipamento. Os compradores dos apartamentos e os moradores próximos ao prédio no Altiplano vivem essa 'dor de cabeça' desde 2017 e estão com receio e que o guindaste possa cair e causar uma tragédia na região, já que ele está no topo do edifício há anos.

Saiba mais

Os compradores vão gerir a obra e precisam que o guindaste e o elevador, que não é deles, seja removido, para a continuidade das obras, agora sob gerência da Associação dos Compradores dos Apartamentos.

O Banco do Brasil entrou com recurso contra a liminar. Mas, segundo o advogado dos compradores, Daniel Braga, informou à TV Cabo Branco, o recurso não impede o cumprimento da decisão da Justiça. O julgamento do recurso acontecerá no dia 31 de janeiro e os compradores e o advogado esperam que a liminar seja mantida para obrigar o BB e a GBM Engenharia a remorevem o guindaste e o elevador.

O Banco do Brasil informou em nota à TV Cabo Branco que está buscando uma empresa que faça a retirada do guindaste, mas mencionou que o equipamento está sob guarda da GBM Engenharia, registrada como fiel depositária dos aparelhos. A GBM Engenharia aguarda o julgamento do recurso.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Homem é preso com 25 quilos de maconha, haxixe e cocaína em João Pessoa

Prefeitura de Campina Grande promove no Isea a doação voluntária de bebês para adoção

Assembleia aprova projeto que reconhece atiradores desportivos como atividade de risco e abre portas para porte de arma ao segmento na Paraíba

Camila Toscano diz que não definiu voto para presidente: "não tenho rejeição, mas aguardo decisão do partido para me posicionar"