Paraíba

Paraíba já tem cinco açudes sangrando no Cariri e Sertão, mas 24 ainda estão em situação crítica

Dos açudes que estão sangrando no momento, três estão na região do Sertão e Alto Sertão.

Açude do Boqueirão está com 39,26% da capacidade total

Açude do Boqueirão está com 39,26% da capacidade total

A Paraíba já tem cinco açudes sangrando no Cariri e Sertão do estado. Embora isso seja motivo de comemoração, a situação hídrica no estado está longe de ser confortável. Do total de 135 açudes monitorados pela Agência Estadual de Gestão das Águas da Paraíba (AESA-PB),  24 continuam em situação crítica, isso significa que, no momento, eles estão com volume de água correspondente a apenas 5% da sua capacidade total de armazenamento.

Conforme apurou o ClickPB, dos açudes que estão sangrando no momento, três estão na região do Sertão e Alto Sertão. O primeiro é o Bartolomeu I, na região do Alto Curso do Rio Piranhas, na cidade de Bonito de Santa Fé. Em seguida, também na região do Alto Curso do Rio Piranhas, temos o açude São José I, na cidade de São José de Piranhas. Por último, tem o açude Vazante, na Bacia do Piancó, em Diamante.

Os outros dois açudes estão no Cariri. O primeiro é o São José II, na região do Alto Curso do Rio Paraíba, em Monteiro, e também o açude de Poções, também na região do Alto Curso do Rio Paraíba, em Monteiro.

Os açudes em situação crítica estão todos localizados nas regiões do Cariri/Curimataú e Sertão.

O próximo açude a sangrar deve ser o Olho d’Água, na Região do Baixo Curso do Rio Paraíba, na cidade de Mari.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Homem é preso suspeito de estuprar a própria irmã durante cinco anos, na Paraíba

2

Paraíba

Concurso: Secretaria de Cultura anuncia certame; veja quando provas devem ocorrer

3

Paraíba

São João altera horários da Justiça na Paraíba; veja funcionamento

4

Paraíba

Sam’s Club pode abrir loja em Campina Grande, revela CEO da rede: “cidade que tem um interesse para gente”

5

Paraíba

Empossado no Senado, André Amaral diz que será contra o aborto: “não abro mão da defesa da vida”