Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Portarias

Após casos de covid-19 registrados em presídio na Paraíba, Fundac estabelece medidas de prevenção e proíbe entrada sem máscara nas unidades socioeducativas

A pessoa que for flagrada sem máscara no local será encaminhada à delegacia e pode sofre pena de detenção de um mês a um ano, mais aplicação de multa.

Servidores da Fundac receberão máscaras reutilizáveis para trabalhar (Foto: Reprodução)

Por

Após dois detentos do Presídio de Patos, no Sertão da Paraíba, contraírem covid-19, outras unidades do sistema prisional estão adotando medidas para evitar o contágio da doença em suas dependências. A Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente ''Alice de Almeida'' (Fundac) proibiu a entrada de pessoas sem máscara na instituição.

De acordo com a portaria publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (28), a diretoria administrativa da Fundac fornecerá duas máscaras reutilizáveis para cada servidor da instituição.
A pessoa que for flagrada sem máscara no local será encaminhada à delegacia e pode sofre pena de detenção de um mês a um ano, mais aplicação de multa, que são as penas previstas para quem infringe determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa, o que é crime.

Além disso, todo adolescente que chegar à instituição deverá receber uma máscara ainda na recepção. Serão disponibilizados produtos para higienização dos objetos vindos de fora e o adolescente deverá ser encaminhado direto para o banho. O novo interno ficará 14 dias em quarentena, usando máscara, independente de apresentar ou não algum sintoma gripal.

Em relação aos funcionários, não será permitido o trabalho presencial de servidores que tenham histórico de doenças respiratórias ou doenças crônicas, ou cujos familiares, que habitam a mesma residência, tenham doenças crônicas; de gestantes e lactantes; que utilizam medicamentos imunossupressores; que manifestarem sintomas respiratórios, como febre, tosse, coriza ou dificuldade de respirar.

Os servidores públicos estaduais, da administração direta e indireta, que não puderem exercer suas atividades de forma remota (home office), deverão ter o gozo de férias antecipado.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

De 7 mil testes de Covid-19 feitos em junho, um quarto apresenta resultado positivo em Campina Grande

João Pessoa vacina todos os públicos a partir dos cincos anos neste sábado; veja locais

Paraíba tem 103 pessoas internadas em unidades públicas de referência para covid-19

Suplemento alimentar pode ser prescrito por biomédicos, diz conselho