Polêmica

Professor de Harvard diz que ser humano não foi feito para correr e, sim, para descansar

Professor especialista em paleontologia faz uma avaliação da evolução humana e fala sobre a prática de esportes como entendemos hoje

corredor

Professor de Harvard diz que ser humano não foi feito para correr e, sim, para descansar. Vivemos em uma sociedade que reconhece a importância do exercício físico para uma vida saudável. A prática de esportes, embora estranha sob a perspectiva histórica da humanidade, tornou-se parte integrante de nossa cultura contemporânea.

Porém, Daniel E. Lieberman, um professor paleoantropólogo da Universidade de Harvard, argumenta que o ser humano não evoluiu naturalmente para o exercício físico. Em seu livro “Exercício”, o professor explora as evidências evolutivas, biológicas e antropológicas que levam à conclusão de que a humanidade não foi “projetada” para se exercitar da forma como entendemos hoje.

O professor Lieberman destaca que, ao longo da história, os seres humanos gastaram mais tempo em repouso do que em atividades físicas intensas. Isso não significa que nossos ancestrais eram sedentários, pelo contrário, um corpo fisicamente ativo era extremamente necessário para a sobrevivência – mas isso é diferente de praticar um esporte, como carga, intensidade e volume programados.

Evolução e atividade física

O professor especialista de Harvard aponta para pistas biológicas, como o metabolismo humano mais rápido em comparação com outros primatas, sugerindo que os humanos têm uma predisposição para conservar energia – o que permitiu que nosso cérebro evoluísse.

Isso não significa que ele seja contra o exercício, mas ele enfatiza a importância da moderação e da compreensão da biologia humana. Em um mundo onde a obesidade está em ascensão e o sedentarismo é comum, o professor Lieberman defende um estilo de vida mais ativo e saudável, mas sem cair nos extremismos da cultura do corpo perfeito.

O professor  enfatiza a necessidade de aceitação do próprio corpo e de evitar estigmas relacionados ao peso. Assim, o professor especialista de Harvard vê o exercício como parte de um estilo de vida equilibrado, não apenas como uma ferramenta para perder peso, mas como uma forma de promover a saúde física e mental.

Benefícios do exercício físico

Podemos interpretar o que o especialista diz como uma forma de análise histórica, do ponto de vista evolutivo. Ou seja, ele faz uma análise de como o ser humano evoluiu, mas não é um especialista em prescrição de exercícios individualizados para quem busca sair do sedentarismo.

Apesar de suas falas, é importante entender que a prática regular de exercícios físicos, como é o caso da corrida (citada no título), traz inúmeros benefícios para a saúde. Sobretudo porque hoje o ser humano não vive mais de caça e coleta e tende a passar muito mais tempo sentado, muitas vezes com uma alimentação industrializada e que também causa malefícios ao corpo.

Veja, a seguir, alguns benefícios de praticar uma atividade física aeróbica como a corrida!

1. Favorece a perda de peso

“Por ser um esporte em que temos que movimentar nosso corpo através de sucessivos saltos para se deslocar, necessitando recrutar muitos músculos, isso gera um gasto calórico muito grande. Além disso, a corrida é um esporte predominantemente aeróbico, o que por si só já ajuda na queima de calorias”, explica Mario Sergio, fundador da assessoria esportiva Run&Fun.

2. Fortalece o coração

“Há o aumento da massa muscular cardíaca, aumento do ventrículo esquerdo, aumento e eficiência das mitocôndrias e melhora da entrada e saída de sangue para o sistema pulmonar e circulatório. Em outras palavras, o coração fica mais forte e mais econômico diante do trabalho em exercício e repouso”, ele explica.

3. Aumenta a sensação de bem-estar

A endorfina, um neurotransmissor produzido pelo cérebro através do estímulo de exercícios físicos aeróbios, como a corrida, é uma moduladora da dor e do estresse e sua liberação através da corrida irá propiciar o aumento da disposição física e mental. Assim, dá a sensação de bem-estar, alivia as dores, melhora a resistência física e a tolerância ao esforço físico, e melhora o humor.

4. Auxilia o cérebro

Doenças como demência, esclerose múltipla e Alzheimer são beneficiadas com o treinamento de maneira participativa no tratamento clínico do exercício de forma não medicamentosa. A corrida também promove aumento de fluxo de sangue ao lobo frontal: a área é associada à concentração e foco, que controlam a tomada de decisão e a maneira como gerenciamos nosso tempo.

5. Fortalece os ossos

Como a corrida se trata de uma atividade que gera impacto sobre nossos ossos e articulações, é sabido que esta atividade melhora a massa óssea e, consequentemente, há uma melhora no fortalecimento dos ossos.

6. Tonifica os músculos

A corrida fortalece não só os membros inferiores (pernas e glúteos), mas também braços e core (centro do corpo, região abdominal), atribuindo ao músculo resistência, queimando gorduras e auxiliando no emagrecimento e definição muscular (aliado à dieta adequada).

7. Ajuda a dormir melhor

A corrida é uma atividade que tem um gasto calórico grande e esse pode ser um fator que te ajudará a ter noites de sono melhores. Devido ao fato de estarmos fazendo uma atividade de grande intensidade, e pelo esforço que nosso corpo é submetido, tendemos a dormir melhor. Apenas é importante encontrar o melhor momento do dia para essas atividades, respeitando seu corpo, sua individualidade e seu relógio biológico.

COMPARTILHE

Bombando em Saúde

1

Saúde

Fazer cardio ou treinar a força: para a ciência não há dúvidas sobre qual o exercício ideal depois dos 50

2

Saúde

Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

3

Saúde

Médico explica por que damos aquelas tremidinhas durante o sono

4

Saúde

Insônia pode ser sintoma de depressão, diz estudo 

5

Saúde

Paraíba prorroga Campanha de Vacinação contra a gripe até 28 de junho