Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Meio ambiente

Monitor de Secas indica aumento de 61,7% da área com seca na Paraíba durante o mês de setembro

Entre agosto e setembro, parcela do território paraibano com o fenômeno saltou de 46,03% para 61,07%. Fenômeno também se intensificou com a elevação da área com seca moderada de 7,67% para 16,43% ­

Na Paraíba a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA) é o órgão que atua no Monitor de Secas. (Foto: reprodução)

Por

Na Paraíba, a área com seca registrou aumento de 61,07% de áreas atingidas. Esse índice é a maior porção com o fenômeno desde abril deste ano, quando foi registrado 75,22%. De acordo informações obtidas pelo ClickPB nesta quarta-feira (21), o Mapas de Secas registrou o aumento da severidade da seca em território paraibano com a elevação da área com seca moderada de 7,67% em agosto para 16,43% em setembro. 

O Mapa do Monitor de Secas de setembro indica o aumento das áreas com seca em 14 das 19 unidades da Federação acompanhadas: Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins. Três estados que passam por forte seca permaneceram com 100% de seus territórios com o fenômeno em setembro: Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. A Bahia se manteve no patamar de 68% de sua área com seca.

Já a redução de áreas com o fenômeno aconteceu somente no Rio Grande do Sul. 

A situação de seca mais severa registrada em setembro – seca extrema – aconteceu em Mato Grosso do Sul (24,08% de seu território), Paraná (8,6%) e Minas Gerais (2,92%). Já o estado que registrou as melhores condições foi o Rio Grande o Norte, que teve a menor área com seca (33,54%) e somente na intensidade fraca.

Setembro é climatologicamente seco em grande parte do Centro-Oeste, Sudeste, Nordeste e Tocantins. As chuvas são inferiores a 30mm na maior parte dos estados nordestinos, norte de Minas Gerais, nordeste de Goiás, leste de Tocantins, Distrito Federal e centro-norte de Mato Grosso do Sul. Já no Sul e em alguns pontos do litoral de Pernambuco, Alagoas e Bahia; os volumes médios mensais de chuvas oscilam entre 120mm e 250mm.

Na Paraíba a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA) é o órgão que atua no Monitor de Secas. O Monitor de Secas é coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), com o apoio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), e desenvolvido conjuntamente com diversas instituições estaduais e federais ligadas às áreas de clima e recursos hídricos, que atuam na autoria e validação dos mapas. 

Confira no mapa a seguir a ilustração com o aumento das secas na Paraíba entre os meses de agosto e setembro:


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Com aumento da Covid-19, Adalberto Fulgêncio diz que Prefeitura de João Pessoa não vai autorizar eventos de grande porte: "vamos indeferir"

Tribunal de Contas da Paraíba suspende atividades presenciais após contaminação de servidores pelo novo coronavírus

Diagnosticado com covid-19, senador José Maranhão permanece internado e sem previsão de alta

UFCG decide adotar sistema de aulas híbridas a partir de 2021