Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Aline Lins

Editora geral do Portal ClickPB.

ver coluna →

Como o prefeito Luciano Cartaxo vai usar R$ 1,25 bilhão do BID?

O prefeito Luciano Cartaxo ainda não deu satisfação à população sobre o plano de ação do Projeto João Pessoa Cidade Sustentável, que vai garantir o financiamento de R$ 1,25 bilhão ao Município

Prefeito Luciano Cartaxo pouco tem divulgado informações sobre esse projeto (Foto: Walla Santos)

Por

Se a bancada de oposição quer começar o mandato fiscalizando, aí vai uma dica boa para cobrar respostas com antecedência. O prefeito Luciano Cartaxo (PSD) pediu R$ 1,25 bilhão – isso mesmo, com ‘b’ de bola – , dentro de um projeto chamado Projeto Iniciativa de Cidades Emergentes e Sustentáveis, do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Esse projeto vai ser feito em cinco cidades do Brasil e João Pessoa é uma das contempladas. 

O prefeito tem divulgado o Projeto João Pessoa Cidade Sustentável como se fosse um prêmio, mas é um financiamento mesmo. Por outro lado, Cartaxo não abriu, até agora, o plano de ação que apresentou ao BID para conseguir o financiamento. 

Tem-se que esse plano de ação apresentado ao BID tem a Barreira do Cabo Branco, o Porto do Capim, um projeto de mobilidade, um projeto de habitação, entre outras intervenções e investimentos. O prefeito vai ter grande autonomia para usar esses recursos, não necessariamente em projetos sustentáveis.

O BID está criando uma rede de monitoramento cidadão, por meio da Caixa Econômica Federal, com a participação de vários representantes da sociedade civil, setor produtivo, setor de comunicação e universidade. 

Essa rede está sendo montada nas cinco cidades contempladas – João Pessoa, Florianópolis, Vitória, Palmas e Goiânia. 

Em João Pessoa, porém, já se avalia que será insuficiente para fiscalizar a aplicação dos recursos pela prefeitura. Houve uma falha, no Brasil, no tempo de criação dessa rede, e não vai ter a funcionalidade que deveria. 

Como a prefeitura tem economizado divulgação sobre esse projeto, aí que entra o papel não só da oposição, mas a situação também – por que não? Cadê o plano de ação, prefeito?

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaques da Coluna

ver coluna →

Juíza suspende licitação da Zona Azul de João Pessoa

TCE confirma que Leto Viana recebeu R$ 43 mil este ano referentes a salários de assistente administrativo

Mesmo preso, cargo de assistente administrativo em Cabedelo rende a Leto R$ 43.129,44 em janeiro e fevereiro

Empresa alvo da PF vai receber da Prefeitura de Campina R$ 2,99 milhões ​para fazer o São João 2019