Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Aline Lins

Editora geral do Portal ClickPB.

ver coluna →

Ocupações irregulares e muros gabiões invadem praias e 'privatizam' área da União na Paraíba

Essas estruturas construídas por moradores que detém suas propriedades na praia impedem que o mar avance sobre as mansões e luxuosas 'áreas de lazer' construídas ilegalmente.

Por

Quem disse que rico também não invade terra alheia? A 'privatização' de trechos da orla do município de Conde, Litoral Sul da Paraíba, por construções irregulares sem licença dos órgãos competentes virou alvo de investigação pelo Ministério Público Federal na Paraíba (MPF). Muros gabiões estão impedindo as pessoas de trafegar na praia, que é área de domínio da União. 

Essas estruturas construídas por moradores que detém suas propriedades na praia impedem que o mar avance sobre as mansões e luxuosas 'áreas de lazer' construídas ilegalmente.  

A denúncia da ocupação irregular foi feita pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Conde ao Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) e resultou na abertura de um inquérito civil. 

Em vermelho, o local onde estão construídos os gabiões

Nas imagens obtidas pelo ClickPB que constam em relatório feito pela Secretaria do Meio Ambiente é possível observar que, na região de Carapibus, um muro gabião, construído com pedras, invade a praia e, junto a ele, estendem-se escadarias que permitem o acesso das mansões até o mar. 

De acordo com relatório de fiscalização da Secretaria, quando a maré enche, a caminhada dos banhistas pela praia fica impossibilitada pelos gabiões que invadem a areia e interrompem o caminho. 

Em outro local, na Praia do Amor, uma mansão teria sido construída irregularmente perto da pedra furada. E em Gramame, o problema seria a ocupação por barracas. 

O procurador da República Werton Magalhães instaurou inquérito por meio da portaria nº 130, de 15 de junho, para a proteção do patrimônio público e social, do meio ambiente e de outros interesses difusos e coletivos. 


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaques da Coluna

ver coluna →

Juíza suspende licitação da Zona Azul de João Pessoa

TCE confirma que Leto Viana recebeu R$ 43 mil este ano referentes a salários de assistente administrativo

Mesmo preso, cargo de assistente administrativo em Cabedelo rende a Leto R$ 43.129,44 em janeiro e fevereiro

Empresa alvo da PF vai receber da Prefeitura de Campina R$ 2,99 milhões ​para fazer o São João 2019