Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Saúde

Editoria sobre Saúde ir para editoria →

Movimento

Profissionais de enfermagem protestam em frente ao CRM-PB contra decisão que limita sua atuação

O ápice do protesto aconteceu nesta tarde, em frente à sede do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), na Avenida Pedro II

Profissionais percorreram as ruas da Capital paraibana (Foto: Clilson Junior e Maurílio Batista)

Os profissionais de enfermagem da Paraíba realizaram um protesto em João Pessoa, nesta terça-feira (17), contra decisão da Justiça Federal que os proíbe de requisitar exames na atenção básica. O ápice do protesto aconteceu nesta tarde, em frente à sede do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), na Avenida Pedro II.

Puxados por um trio elétrico, os profissionais percorreram as ruas centrais da Capital paraibana e, em frente ao CRM, entoaram cantigas e gritos de guerra.

A decisão, assinada no dia 27 de setembro pelo juiz Renato Borelli, atende a um pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM). A entidade alega que o objetivo é preservar as atribuições privativas dos médicos e garantir que pacientes não sejam colocados em risco. Por sua vez, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) critica a atitude e vê nela uma tentativa de reserva de mercado que trará prejuízos para o atendimento à população. Segundo a entidade, nem sempre as equipes de saúde estão completas, principalmente em cidades mais pobres, nas quais enfermeiros são fundamentais.

De acordo com o despacho, está suspensa parcialmente a Portaria 2.488/2011 do Ministério da Saúde, "tão somente na parte que permite ao enfermeiro requisitar exames, evitando, assim, que realizem diagnósticos sem orientação médica". O magistrado avaliou que a referida portaria foi além do que permite a lei que rege a prática da enfermagem.

O Cofen já recorreu da decisão, mas orienta os enfermeiros a respeitá-la enquanto a sentença estiver vigente.

Vestidos de pretos, os enfermeiros ainda acusaram os médicos de corporativismo e  declararam que a liminar impetrada pela Associação Médica Brasileira ira as prerrogativas que são garantidas à profissão". A culpa é da política para o serviço saúde pública do do governo do presidente Michel Temer", disparou um dos manifestantes.

O vereador Marcos Henrique (PT) que estava presente à manifestação concorda: "A liminar é um retrocesso na área da saúde. “Ela tira as prerrogativas dos enfermeiros ao proibir que o profissional de requisitar exames básicos, como de pré-natal, HIV. Restringe  a ação dos enfermeiros".


Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Paraíba já tem 425 casos suspeitos de microcefalia

Seis vacinas sofrerão alterações em 2016

Farmácias têm dificuldade para repor estoques de repelentes em JP

Confira esquema de fim de ano nas unidades de saúde da Paraíba