UFC

Brasileiro treinador de Holly Holm é preso acusado de estupro nos EUA

Segundo o boletim de ocorrência, a mulher contou que o ato aconteceu durante uma aula particular em sua casa. Na ocasião, ela pediu a Barata que massageasse suas pernas porque sentia cãibras.

Por

O lutador e professor de jiu-jítsu Rafael "Barata" Freitas, 37, foi preso neste fim de semana em Albuquerque, Novo México (EUA), acusado de drogar e estuprar uma aluna num incidente acontecido em 7 de novembro. A informação é do "Albuquerque Journal". Barata é conhecido por ser um dos treinadores de Holly Holm, ex-campeã peso-galo do UFC, e é um dos instrutores de luta agarrada da famosa equipe Jackson-Wink MMA, além de professor da filial local da academia Gracie Barra.

Segundo a queixa registrada na Corte Metropolitana do Condado de Bernalillo, a aluna, uma mulher que tinha aulas com Barata há anos, capturou o ato criminoso em vídeo através de uma câmera de segurança instalada em sua sala.

Segundo o boletim de ocorrência, a mulher contou que o ato aconteceu durante uma aula particular em sua casa. Na ocasião, ela pediu a Barata que massageasse suas pernas porque sentia cãibras.

A mulher disse à polícia que bebeu meio copo de vinho e depois tomou café da manhã, e bebeu suco de laranja com ele antes da sessão. Ela disse que foi ao banheiro e ao sair viu que o brasileiro havia preparado um segundo copo de suco de laranja para ela. A mulher contou à polícia que acrescentou uma dose de uísque e ginger à bebida e cerca de 30 minutos depois começou a “sentir sono”, enquanto Barata massageava suas pernas. Ela disse que “desmaiou rapidamente” e acordou horas depois, nua da cintura para baixo, e que o brasileiro havia sumido.

Segundo a publicação, a mulher disse à polícia que enviou uma mensagem a ele, dizendo que estava envergonhada e perguntou sobre ela estar nua e Barata respondeu: "Sim, você estava bem, não se sinta assim, você está bem".

Ela disse que se lembrou de ter uma câmera de segurança instalada na sala de estar e deu uma cópia do vídeo para a polícia.

De acordo com a descrição de um detetive, o vídeo mostra o brasileiro "possivelmente" jogando algo no suco de laranja da mulher, enquanto ela estava no banheiro, e que sua mão faz um movimento de "misturar" o copo. Depois que Barata começa a massagem, as pernas dela parecem ficar "pesadas". O detetive diz que o brasileiro é visto tirando seus shorts e parece fazer sexo oral enquanto ela está desmaiada. Antes de sair de casa, Barata pega a mão da mulher - o braço dela parecendo “mole” - e esfrega em seus genitais. Depois que ele saiu, ela ficou imóvel no sofá por 50 minutos antes de se sentar.

A reportagem diz que o nome do brasileiro aparecia no site oficial da academia até o último sábado, como um dos instrutores do local, mas a página foi deletada após o questionamento do fato ocorrido. Porta-voz da Jackson Wink, James Hallinan disse que o brasileiro não tem ligação com a academia.

- Tudo que me disseram é que ele não é funcionário da Jackson Wink Academy, e nunca foi. Se o site não foi atualizado, isso está sendo feito agora.

Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

McGregor ameaça cancelar trilogia com Poirier após bate-boca com americano

Holly Holm espera revanche com Miesha Tate no UFC: "Sempre gosto de vingar as derrotas"

Ultimate encaminha luta entre Amanda Ribas e Angela Hill para o mês de maio

Francis Ngannou, Adesanya e Kamaru Usman levam África ao topo do UFC